Parlamentares prestam homenagem a mães afetadas pela pandemia
Blog do Thales Castro - Thales Castro

Parlamentares prestam homenagem a mães afetadas pela pandemia

– Deputados destacaram a luta das mães para sustentar suas famílias durante a pandemia

A sessão plenária desta quarta-feira (12) foi marcada por homenagens dos parlamentares ao Dia das Mães, a ser comemorado no próximo domingo (9). Eles destacaram a luta das mulheres para sustentar suas famílias durante a pandemia, a tristeza das mães que perderam filhos e a dos filhos que ficaram órfãos.

 

A deputada Ana do Gás (PCdoB), por exemplo, disse que a pandemia trouxe desafios para as mães. “O momento ainda é delicado e nos obriga a ficar distantes daqueles que queremos abraçar”.

 

Ela prestou homenagem às profissionais de saúde e a mães que estão na linha de frente da Covid-19. “São mulheres guerreiras que deixam de tomar de conta de suas próprias famílias e dão o máximo para cuidar do próximo, arriscando suas vidas”.

 

Mulheres que cumprem penas em presídios, separadas dos filhos, também foram lembradas pela deputada, que prestou homenagem àqueles que perderam suas mães. “Que Deus possa confortar seus corações, porque só sente essa dor quem já perdeu alguém que ama”, disse.

 

Vacinação

 

Professor Marco Aurélio (PC do B) destacou a luta das mães que residem nos mais diversos municípios maranhenses. “Elas travam uma luta justa pelos seus filhos, na busca pela vacinação contra a Covid-19”, ressaltou.

 

O parlamentar homenageou mães de Imperatriz e de todo o Maranhão e que têm filhos com Síndrome de Down. Ele lembrou que pessoas com Down têm baixa imunidade e constantes problemas cardíacos e respiratórios, além de sofrerem com obesidade. “Garantir a prioridade na vacinação é oferecer segurança a essas mães que cresceram enfrentando, às vezez, o preconceito, mas sempre com amor, dando o melhor de si, aprendendo e sendo felizes com essas crianças”.

 

Marco Aurélio destacou, também, a necessidade da vacina para pais e cuidadores de crianças autistas. Disse que há estados e municípios que já deram essa prioridade, pois criança autista não consegue utilizar a máscara. “Mães de crianças autistas de todo o Maranhão levantam essa bandeira por entenderem que estão protegendo diretamente seus filhos”, acentuou.

 

O deputado informou que já conversou com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, para dar voz ao movimento liderado por mães de autistas. “Precisamos dar essa prioridade e trazer, de maneira urgente, essa vacina e valorizar a luta dessas guerreiras que estão buscando algo simples, mas que é tão importante e fundamental para a preservação das vidas dos seus filhos”.

 

Mães de Timon

 

Socorro Waquim (MDB) prestou homenagem especial às mães que residem em Timon. “Elas possuem uma fala especial de amor, de luta, de labuta, de doação, de respeito e de história”, elogiou.

 

A parlamentar lembrou da pandemia que avança e deixa na orfandade milhares de filhos, cujas vidas das mães foram ceifadas pela Covid-19. “Quantos milhares de jovens e crianças ficaram sem suas mães? Isso significa o que para a sociedade, para esse mundo que nós tanto defendemos e que tanto queremos?”, questionou Waquim.

 

A deputada ressaltou a necessidade de se avançar no processo de vacinação, já que somente 15% da população brasileira receberam a primeira dose. “Não atingimos nem 1/4 da população brasileira e a segunda dose, mais difícil ainda, caminha muito lentamente”.

 

Socorro Waquim pediu melhorias no sistema de saúde do Maranhão e do Brasil. “Para que, no enfrentamento de pandemias como essa, a população não tenha que se curvar diante de tantas mortes e derramar tantas lágrimas. Quantas famílias, no futuro, estarão marcadas, não indelevelmente, mas marcadas com a cicatriz de um tempo duro que foi a epidemia da Covid?”.

 

Homenagem

 

A morte de centenas de mães durante a pandemia também foi lembrada pelo deputado Wellington do Curso (PSDB). Segundo ele, muitos filhos não terão o que comemorar no Dia das Mães porque perderam as suas “rainhas” para a Covid-19. Ele destacou a luta daquelas que têm filhos com deficiência ou doenças raras.

 

“Já acompanhamos esse tratamento no Hospital da Criança e auxiliamos e ajudamos algumas mães e crianças que vêm do interior para tratamento na capital. A nossa luta é permanente em defesa de todas as mães solteiras, que cuidam e levam o sustento à família”, ressaltou.

 

Wellington homenageou todas as mães do Maranhão mencionando a dele, Iracema de Castro Bezerra, a quem expressou gratidão. “Deus não podia ter me colocado em um lar melhor, mesmo tendo sido criado sem pai. Meu pai me abandonou quando eu tinha 7 meses de nascido, mas ele me deu uma mãe guerreira, determinada e com quem eu aprendi muito”, finalizou.

Categoria: Notícias