Blog do Thales Castro - Thales Castro

Escutec: Josimar cresce 400% e já aparece no 2º turno dentro da margem de erro

Dado importante observado no levantamento, foi o crescimento do deputado federal, que da primeira para a última pesquisa, subiu mais de 400%.

 

 

Se a eleição para governador do Maranhão fosse hoje, o deputado federal Josimar (PL) estaria no segundo com mais de 15% dos votos, contra 23% do senador Weverton (PDT), levando em consideração a margem de erro de 3 pontos percentuais, da pesquisa Escutec de intenções de votos divulgada nesta terça-feira, 1°, pelo portal Imirante.

 

No cenário da pergunta estimulada, Weverton aparece com 26% de intenção de votos, porém, com os 3 pontos percentuais para menos da margem de erro, fica com 23% de preferência. Não sei varia entre 14% a 19% e Nenhum registrou entre 19% a 21%.

 

Josimar que aparece com 12% de aceitação, com a margem de erro para mais, sobe para 15% e acaba superando o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD) que aparece 13%, quando se leva em consideração a estatística que expressa a quantidade de erro amostral aleatório do levantamento.

 

Como o maior número de questionários foi realizado em São Luís, o levantamento acabou beneficiando o ex-prefeito da capital, mas a projeção a seu favor cai quando esse índice avança para os demais municípios maranhenses.

 

Outro dado importante observado no levantamento, foi o crescimento do deputado Josimar, que da primeira para a última pesquisa, subiu mais de 400%.

 

DADOS DA PESQUISA

 

A avaliação do cenário da corrida estadual foi realizada no período de 23 a 27 de novembro de 2021, com 2 mil entrevistas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos e o nível de confiança de 90%.

 

O QUE É MARGEM DE ERRO?

 

Em termos estatísticos, a margem de erro refere-se à quantidade de erro de uma amostragem aleatória. Está relacionado diretamente como o resultado da elaboração de um levantamento.

 

Toda pesquisa eleitoral é feita por amostragens referentes à população em estudo, utilizando fontes oficiais de dados do país: IBGE, TRE e TSE, até chegar a um resultado final, mesmo com todo esse cuidado esse tipo de pesquisa sofre mudanças frequentes, pois a sua validade depende da opinião pública, que varia constantemente.

 

Uma pesquisa não é feita em cima de valores absolutos e sim em estimativas (estatísticas), assim apresenta sempre uma margem de erro, que irá depender do tamanho da amostra e dos resultados que foram obtidos com a pesquisa. E isso acontece porque em uma pesquisa eleitoral, por exemplo, não é possível entrevistar toda a população, somente uma fração dela.

Categoria: Notícias